segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Permito-me By Carla Pepe


Permito-me
By Carla Pepe 


Permito-me ser quem eu sou...
Usar batom.
Beijar a boca
curtir o som.
Deixar a mão
entrar na coxa
sentir o prazer da tua boca na nuca
Deixar sair o som.

Permito-me usar decote,
exibir meu entrecorte.
Deixar meu cheiro na tua mão.
E lamber tua pele.
Sugar teu nectar.
Me lambuzar.
Embriagar-me na tua essência.
Afogar-me na tua existência.
Morrer de prazer.

Permito-me ser livre,
para ser quem eu quiser.
Mãe, princesa, Maria.
Dama, femêa, vadia.
Velha, gostosa, menina.
Amante, espanhola, mocinha.
Bruxa e a  fada-madrinha

Permito-me ser eu mesma,
sem filtro, sem rótulos,
sem lacres, sem prazo de validade.
Eu e minha legitimidade.
Sou autêntica. Única.
Surpreendente.
Sou feita de gente.
Centelha divina com pele de menina.
Carente e independente.
Lutadora fervorosa.
Crente ardorosa.
Amante luminosa.
Sou fogo, sou ar, sou água, sou terra.
Sou mulher.









Postar um comentário