quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Ana Linda - Parte 2 - Carla Pepe


Ana Linda - Parte 2
By Carla Pepe

Ana estava ali com seu corpo nu e o coração acelerado pensando no que fazer diante do recuo de Jorge. Tomou um gole da cerveja que tinham pego no frigobar, encheu-se de coragem e perguntou se ele preferia ir embora. Como se tivesse entendido que tudo iria pelo ralo e perderia a fogosa mulher, Jorge acordou de sua perplexidade. Pegou Ana de jeito e sem que ela conseguisse dar resposta, a agarrou e a beijou com sofreguidão. Ela reagiu imediatamente aos beijos do rapaz e encostou seu corpo no dele numa dança sensual de sedução.

Jorge pegou Ana de todos os jeitos possíveis: em pé, de quatro, de joelho. Ele buscar absorve-la de todas as formas. Ela o sorvia em todo seu corpo, sua alma e cadência. Sem freio, sem amarras, sem pudores. Eram mãos, bocas, pernas, seios, coxas. Ele explorava cada curva do corpo dela como dançarino de tango argentino. E ela correspondia como a melhor parceira que podia existir numa entrega total. E assim a dança durou a noite toda até que desmaiassem exaustos.

Ele acordou sentindo as pernas bambas da noite de lascívia.Que mulher era aquela! Danada demais! Sem freios demais! Tudo nela era demais!

Ele a procurou ao lado da cama e ela já não estava.Tentou ouvir se estava no banheiro e também não estava. Num papel próximo ao frigobar havia rabiscado como que rapidamente um numero de telefone e a assinatura do nome: Ana.E agora o que ele fazia? Ligaria? Quem seria ela? O que falaria aos rapazes no trabalho?  Por enquanto tomaria um banho e iria para casa.

Enquanto isso, em casa Ana pensava em Jorge e na noite que tiveram. Que noite foi aquela! Ele era meio hesitante, mas correspondia bem as suas investidas. Tinha um corpo gostoso, uma pegada boa, um beijo na nuca que enlouquecia. Tomara que mandasse alguma mensagem marcando um novo encontro. Por enquanto ela ia seguindo a vida. Quem sabe Jorge ligasse numa próxima 5a. feira. Ai que bom seria. Só de pensar já ficava com vontade de...bem...ia tomar uma ducha.

O celular tocou enquanto ela estava no chuveiro. Ela correu e viu que tinha mensagem. Será que era ele?

Como será o desenrolar dessa história. Seria apenas uma história fugaz ou um caso de amor?
Aguardem a parte 3...


Postar um comentário