sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Uma hora bem paga - Carla Pepe


Uma hora bem paga
By Carla Pepe 
Ela pediu para fazer uma massagem, afinal precisava relaxar depois da semana exaustiva. Tirou a roupa e ficou só de toalha. O barulho das ondas do mar lhe dava um relaxamento a mais. Ele entrou, devagar, voz forte, sorriso franco, mãos grandes. Ela fico impressionada com ele. Não era tão bonito mas tinha algo algo. Ele começou a conversar para quebrar o gelo. E foi tocando seu corpo com força, nos pontos certos. Ela viajava nas sensações que aquilo tudo lhe provocava. De repente, a mão dele escorregou. Ela sentiu, mas deixou. Ela bem que queria um relax de bônus. Uma hora de sexo com aquele homem seria tudo de bom naquela semana. E ela foi deixando a mão dele tocar seu ventre, lhe fazer gozar. Ele percebeu e continuou. Massageava seu ventre, suas nádegas, seus seios. Ela revirava os olhos de prazer. De repente, lá estava ele frente a ela e a possuiu com volúpia e vontade. E que vontade. Ela queria gritar mas não podia. Tudo que podia era se contorcer de prazer com aquele homem. Ela o sugou até sorver o líquido quente. Ele literalmente a comeu e ela amou cada segundo.
Mas tudo que é bom dura pouco. Um voz chega até sua mente e diz: acabei sua massagem, espero que tenha gostado. Ela só pensava na fantasia que lhe tinha deixado molhada e responde: muito, você é excelente. Foram 60 minutos muito bem pagos.
Saiu dali direto para um banho frio, mas com um riso maroto no rosto. Que massagem boa !!!!



Postar um comentário