terça-feira, 9 de agosto de 2016

Conto do Imprevisto - Carla Pepe

Conto do Imprevisto
By Carla Pepe
‪#‎Carla440‬
Ela nunca saia de casa sem um make up: uma base básica, um lápis no olho, um batom simplérrimo. Também tinha que ter uma lingerie linda e colorida. A roupa podia ser simples, mas por baixo habitava uma mulher ousada. Era uma morena volumosa, mas cheia de fogo e paixão. Sempre saia preparada quem sabe aquele não era o dia de encontrar uma paixão arrebatadora que lhe tirasse da zona de conforto.
Ele tinha saído de casa naquele dia mal humorado, tinha brigado em casa, tudo andava meio igual. Nada mudava na sua vida. Ele estava meio cansado disso. Hoje o dia estava meio tudo igual: céu cinza, trabalho chato, cara feia. Na volta do trabalho, o metrô lotado, uma morena volumosa resolveu parar bem perto dele. Era cheirosa e decotada, só isso já fazia valer, mas daqui a pouco ela ia reclamar que ele estava encostando nela. Mas o local estava tão cheio que era impossível não chegar perto. Ele estava se esforçando.
Ai ela olha para ele e o inevitável acontece uma explosão de sentimentos. Um vontade beija-la e ela sente o mesmo por ela. Ela resolve puxar papo e é correspondida. Ela o convida para descer na estação seguinte e o convite é aceito. Ela o chama para um vinho no Bistrô ali perto e ele, novamente, aceita de pronto. No local, ouvem música, bebericam o vinho, conversam sobre sei lá o que, as mãos se tocam, as pernas se tocam, eles finalmente se beijam levemente e o mundo para e parece não ser suficiente, somente o beijo. Na ousadia que o momento pedia, ela resolve convida-lo para algo mais, sussurrando o convite no seu ouvido. Ele sorri, pela primeira vez dia, e aceita de pronto. Aquela morena o estava deixando louco.
E vão os dois a um hotel aonde a noite prometia ser de luxúria e paixão. Ele a beija com sofreguidão e demora, poderia ficar beijando-a por horas a fio. Em seguida, pega em seios volumosos e mergulha, são puro deleite. E assim, numa dança sensual, os amantes vão conhecendo seu corpo e descobrindo os prazeres um do outro com a calma e a pressa da noite. Todas as posições são experimentas, todas vontades são satisfeitas. E assim, eles num momento de imprevisto, vira puro gozo. Quem sabe os imprevistos da vida poderiam trazer aos dois.


Postar um comentário