segunda-feira, 25 de abril de 2016

Nua - Carla Pepe

Nua
By Carla Pepe
‪#‎Carla440‬
Ela chegou em casa, foi tirando peça por peça, até que nua ficou. Olhou para sua casa, viu a luz entrando pela sala. Parecia meio vermelha, a sala, o quadro pintado pela amiga de tons de azul deixava tudo ainda mais pensativo. Ela estava em dias de pensar na vida, nas escolhas que tinha feito, nos caminhos que tinha percorrido. Sentou-se ali no canto.
O sol batia nos cabelos indo até as costas nuas. Era aquele sol de final do dia. Ela viu sua história passar no piscar dos olhos. Ás vezes que sentiu vontade de morrer, de se entristecer, de esmorecer, de até mesmo, nem nascer. Ela lembrou também das vitórias, das alegrias, das anedotas, das piadas que ela nem mesmo entendia. Das alegrias vadias.
A moça, que nem era tão moça assim, chorou copiosamente. De tristeza somente por ter sido magoada pela vida somente. Continuava ali nua, pois era assim que se sentia, em seus sentimentos, despida, frágil, entregue. E, como se o universo por amor e gratidão, lembrou a mulher de sua inteireza, de sua destreza, de sua grandeza, de sua maestreza.
E do sol veio a lua e ainda nua ela tomou banho de lua, secou as lágrimas, andou pela sala, pegou a taça, serviu-se de um gole de sua cerveja e brindou a si mesma. Era guerreira, inteira, gentil feiticeira. Ela sabia que a vida era para quem era forçada no aço, no laço e na amoreira. E que sempre existiriam novos dias para continuar. E que essa noite ela iria apenas derramar.


Postar um comentário