quinta-feira, 26 de julho de 2007

Um poeminha de mansinho


Um poeminha de mansinho
By Carla Pepe 

Amor, amor meu grande amor
que em meu peito bate sem cessar,
venha depressa com ardor,
que eu só penso em te amar.

Venha correndo, meu benzinho,
pois não aguento mais viver,
longe assim do teu carinho,
to cansada de sofrer.

Deixe a vida cuidar do mundo,
quero arder no peito seu.
E lá no canto que é só nosso,
mergulhar nos beijos teus.

Vem amor, vem depressa.
Que eu te quero sem demora.
Sem filtro, sem promessa.
A nossa hora é agora.


Postar um comentário