sábado, 11 de junho de 2016

Ele viria - Carla Pepe



Disseram que Ele viria novamente trazendo uma mensagem de amor e paz.
Ele veio na periferia dizendo que era preciso amar, amar, amar.
Ele veio na casa do pobre, preto, favelado e ali no meio da miséria achou mais.
Ele entrou na casa da menina estuprada, explorada, prostituída e lhe deu colo e ensinou a perdoar.
Ele viu a fome e a sede dos fracos.
As drogas, o tráfico, as armas e a violência sem sentido dos homens.
Ele chorou pela mãe cujo filho foi assassinado sem voz e nem vez.
Pelos cidadãos de bem que brigam por justiça e paz na sua pequenez.
Ele gritou contra o consumismo desenfreado e sem sentido.
Ele expulsou os líderes vaidosos e afastados do povo marginal.

Os cidadãos da zona sul ficaram esperando por Ele nos seus apartamentos de luxo.
O povo da Barra nas suas mansões com piscina também estavam esperando.
Os homens dos lugares mais ricos também.
Ele não apareceu. Faltou a festa, a ceia, ao jantar.

Preferiu os pobres, os marginais, as prostitutas, os homossexuais.
Preferiu dividir o pão, a água, o céu, as estrelas.
Preferiu falar de amor, solidariedade e da construção de um novo mundo.
E lhe convidou...vem...e ele foram...e o seguiram...

Eles ficaram sem entender sua opção.
E ele foi lá e disse: vem, deixem tudo...poder, status...e sigam-me...
E eles como estátuas não puderam ir com ele.

E assim foi aquela multidão de pessoas indistintas caminhando pelas estradas...
E a multidão aumentava e ninguém entendia o que aquele homem via naquelas pessoas
tao pobres, tão diferentes, tão mal cheirosas, tão maltrapilhas.
E aquele homem somente olhava...e em seu olhar havia apenas um sentimento: AMOR.


Postar um comentário