quarta-feira, 2 de março de 2016

Tão bom ter em quem pensar - Carla Pepe



Tão bom ter em quem pensar 
Carla Pepe

Ela tinha pessoas em quem pensar. Gostava de pensar nos amigos próximos. Gostava de pensar no seu amor da juventude com quem era casada até hoje. Gostava de pensar na filha e nos sobrinhos. Seu trabalho também ocupava uma parte do seu pensamento. Mas, ultimamente, gostava de pensar em você. Nas conversas, nas trocas, nas ideologias, nas utopias, nas fantasias.

Queria muito agradecer a oportunidade de ser tua amiga. De compartilhar sonhos, alegrias, tristezas, desabafos. Gostava de compartilhar bebidas, impressões, porres, palavrões, momentos verborrágicos. Ás vezes, nas madrugadas de insônia, olhava para o teto e queria agradecer, talvez as estrelas e ao universo, por ter com quem compartilhar uma intimidade diferente. Não a intimidade do sexo, do prazer, da volúpia. Pois essa termina em 20 minutos. Mas queria agradecer a intimidade que parece se eternizar na linha do horizonte e nos canais do sentir e do pensar. A intimidade construída na afinidade, na conexão da alma, na amizade e no amor.

Por vezes, ela se pegava querendo encontrar uma forma de agradecer sua existência. Tão bom ter em quem pensar, por quem vibrar, por quem se preocupar. Claro que ela tinha outras pessoas: o marido, a filha, os amigos, a familia. Mas com ele era especial. Porque sentia uma conexão diferente. Meio perene, meio profunda, meio universal.

E hoje, ali no meio da madrugada, naquele silêncio, tão só, ela  fez uma prece profunda. Agradeceu por seu existir. Por sua essência. Por saber que você existe em alguma parte do universo faz toda diferença no universo que está ao redor dela. Obrigada por ser alguém em quem ela pensa, de vez em quando. Obrigada por estar do outro lado. Obrigada por se conectar, por abrir-se, quando há tanta gente fechada ao encontro.

Obrigada por ter permitido que ela adentrasse num pedaço do seu pensamento e do seu coração. A recíproca é verdadeira.

É tão bom ter em quem pensar de vez em quando...




Postar um comentário